Perguntas Sobre Auxílio Funerário e Indenização por Acidente


Na hora que ocorre o falecimento, todo falecido recebe uma declaração de óbito, que é preenchida por um médico. Sendo que sem isso não pode a pessoa ser sepultada. Essa declaração deve ser registrada em Cartório de Registro Civil, na cidade de ocorrência do falecimento, não na cidade de residência do falecido, como muitos pensam. Para tal registro necessitasse de alguns documentos do falecido, sendo eles:

  • RG E CPF;
  • Certidão de casamento, de nascimento, caso o falecido for solteiro;
  • Título de Eleitor;
  • Carteira de Trabalho;
  • O cartão da aposentadoria, caso o falecido seja aposentado;
  • A Declaração de óbito, assinada pelo médico que atestou o óbito;

  • Esses documentos normalmente são padrão em todos municípios de atendimento, mas para evitar problemas de falta de documentos, pedimos aos familiares que levem o máximo possível de documentos do falecido, assim serão evitados possíveis transtornos. O declarante, que irá fazer o registro no cartório, deve saber também o mínimo dos dados de vida do falecido, tais como profissão, endereço de residência e endereço de óbito, filiação, nome e idade dos filhos, etc.
    Assim que ocorrer o falecimento, a família, ou a pessoa que estiver presente, deve entrar em contato com a funerária. Neste primeiro contato, serão coletadas as informações iniciais para que seja iniciada a prestação do serviço, tais como, nome do falecido, idade, aspecto físico, cidade de ocorrência do óbito, se ocorreu em residência, hospital ou acidente, enfim dados básicos e fundamentais que facilitam o atendimento. Apesar do difícil momento a família deve manter a calma, pois os tramites do processo são importantes para o bom andamento do momento.
    Após a confirmação do seu Plano, que se dá ao pagar a primeira parcela, você poderá usufruir de todos os benefícios em vida.
    Entrar em contato imediatamente através da nossa Central de atendimento 24hs que cuidaremos de todos os trâmites necessários para você.